terça-feira, 7 de setembro de 2010

Significado do Hino Nacional Brasileiro


Hoje é 7 de setembro, Dia da Independência, e é exatamente por este motivo que, em caráter excepcional, mudei a aparência da fonte e apliquei o verde e o azul para destacar o meu objetivo.

Ao mesmo tempo em que até hoje ainda me emociono quando ouço o Hino Nacional, por outro lado fico profundamente contrariado com o descaso e o desconhecimento de muitos de nossos jovens, que encaram a sua execução semanal nas escolas como um verdadeiro fardo.
Pensando nisso, de tanto observar o comportamento da garotada, percebi que, se eles mal conhecem a letra, sabem muito menos sobre o significado do que está sendo cantado.
Então julguei ser de bom tom aproveitar o dia de hoje para postar no Geografia e tal uma espécie de “tradução” de um de nossos mais belos símbolos.
Olhando daqui e dali, encontrei algumas páginas que explicam de forma clara e fácil o que a rebuscada letra de Osório Duque Estrada quer dizer. Uma das mais interessantes foi no blog “Fala bonito” , a quem peço licença e reproduzo agora para vocês.

Só para lembrar, em verde está a letra oficial, em azul, a devida explicação.

Hino Nacional

Letra: Osório Duque Estrada
Música: Francisco Manuel da Silva

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas

De um povo heróico o brado retumbante,

E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,

Brilhou no céu da Pátria nesse instante.


As margens plácidas (tranquilas, serenas) do Ipiranga ouviram

o brado (grito) retumbante (estrondoso) de um povo heróico.

E o sol da liberdade, em raios fúlgidos (cintilantes),

brilhou no céu da Pátria nesse instante.


Se o penhor dessa igualdade

Conseguimos conquistar com braço forte,

Em teu seio, ó Liberdade,

Desafia o nosso peito a própria morte!


Se conseguimos conquistar o penhor (garantia)

dessa igualdade com braço forte, o nosso peito

desafia até a morte em teu seio, ó Liberdade.


Ó Pátria amada,

Idolatrada

Salve! Salve!


Ó Pátria amada,

Idolatrada (adorada, venerada)

Salve! Salve!


Brasil, um sonho intenso, um raio vívido

De amor e de esperança à terra desce,

Se em teu formoso céu, risonho e límpido,

A imagem do Cruzeiro resplandece.


Brasil, um sonho intenso, um raio vívido (intenso, vivo) de amor

e de esperança desce à terra se em teu formoso (belo) céu,

risonho e límpido (transparente), a imagem do Cruzeiro

(constelação do Cruzeiro do Sul) resplandece (brilha).


Gigante pela própria natureza,

És belo, és forte, impávido colosso,

E o teu futuro espelha essa grandeza.


Terra adorada,

Entre outras mil,

És tu, Brasil,

Ó Pátria amada!


Dos filhos deste solo és mãe gentil,

Pátria amada,

Brasil!


Gigante pela própria natureza, és belo, és forte,

impávido (destemido, corajoso) colosso (gigante).

E o teu futuro espelha (reflete) essa grandeza,

Terra adorada

Entre outras mil,

És tu, Brasil,

Ó Pátria amada!

És mãe gentil (amável) dos filhos deste solo.

Pátria amada,

Brasil!


Deitado eternamente em berço esplêndido,

Ao som do mar e à luz do céu profundo,

Fulguras, ó Brasil, florão da América,

Iluminado ao sol do Novo Mundo!


Ó Brasil, florão (abóbada, cúpula) da América, (tu) fulguras (brilhas)

iluminado ao sol do Novo Mundo deitado eternamente

em berço esplêndido, ao som do mar e à luz do céu profundo.


Do que a terra mais garrida

Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;

“Nossos bosques têm mais vida”,

“Nossa vida” no teu seio “mais amores”.


Teus campos risonhos e lindos têm mais flores,

nossos bosques têm mais vida,

nossa vida no teu seio (tem) mais amores

do que a terra mais garrida (enfeitada, graciosa).


Ó Pátria amada,

Idolatrada,

Salve! Salve!


Brasil, de amor eterno seja símbolo

O lábaro que ostentas estrelado,

E diga o verde-louro desta flâmula:

- Paz no futuro e glória no passado.


O lábaro (bandeira) que ostentas (exibe) estrelado

seja símbolo de amor eterno. E o verde-louro desta

flâmula (bandeira) diga: paz no futuro e glória no passado.


Mas, se ergues da justiça a clava forte,

Verás que um filho teu não foge à luta,

Nem teme, quem te adora, a própria morte.


Mas, se a clava (bastão usado como arma

Forte da justiça (tu) ergues,

verás que um filho teu não foge à luta, nem teme a

própria morte quem te adora.


Terra adorada,

Entre outras mil,

És tu, Brasil,

Ó Pátria amada!


Dos filhos deste solo és mãe gentil,

Pátria amada,

Brasil!

2 comentários:

  1. Gostei mais uma vez do seu post,penso que se o significado das palavras fosse ensinado para as crianças desde o primário,eles iriam se sentir mais orgulhosos,ou pelo menos não errariam a letra mesmo depois de virar jogador de fultebol rsrs.Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fultebol ? Serio mesmo Monique Garcia ?

      Excluir