terça-feira, 5 de abril de 2011

Chico Buarque - Apesar de Você


Nunca é demais falar sobre Chico Buarque, da mesma forma que não podemos deixar de lembrar às gerações mais novas o quanto foi sombrio o período de 21 anos em que estivemos sob o jugo de um impiedoso e sanguinário regime ditatorial, representado por seguidos governos militares.

Por outro lado, não me canso de repetir, para quem não sabe o que significa o preço da liberdade, democracia em demasia pode provocar um sério e irreversível processo de idiotização, o que é extremamente prejudicial para o desenvolvimento da atividade criativa de qualquer ser supostamente pensante.

Pode me chamar de saudosista ou o escambau a quatro, mas o certo é que, comparado com os dias atuais, aquela foi uma época em que as artes floresciam com toda intensidade, pois neguinho tinha que usar dos mais diversos artifícios para poder se expressar e mandar o seu recado.

Em termos de música feita no Brasil, salvo raríssimas exceções, o que se vê por aí é tudo lixo. É por essas e outras que o nome e a obra de artistas como o Chico Buarque se perpetuam para todo o sempre na história da cultura brasileira.

O momento em que vivíamos na época em que a música que dá título a esta postagem foi composta foi na fase mais barra pesada da ditadura, durante os “anos de chumbo” do governo Médici.

Médici

Ao mesmo tempo, embalados pela conquista do tri, pelas fantasiosas taxas de crescimento do chamado “milagre econômico” e também pela realização de obras faraônicas, as atenções eram devidamente desviadas da cruel realidade de tortura e de assassinatos para a concretização do que parecia ser apenas uma utopia distante e inatingível: a de um Brasil gigante rumo a um pleno desenvolvimento. O futuro havia chegado, graças aos generais e seus asseclas.

Foi num cenário como este que Chico escreveu “Apesar de Você”.

Figurinha manjada e perseguida nos círculos da censura, a simples menção de seu nome já era motivo mais do que suficiente para provocar arrepios de satisfação e deixar os censores de alerta ligado, mas o fato é que a canção driblou os desavisados de plantão e, quando se deram conta do furo, ela já tinha estourado e todo mundo sabia para quem era o recado.

Reza a lenda que, convocado para um interrogatório para dar explicações sobre tamanho desrespeito ao Excelentíssimo Presidente da República, Chico teria dito que a coisa não era bem assim, que a letra da música fazia referência apenas a uma mulher autoritária, e não ao senhor Emílio Garrastazu Médici.

Depois de tanto falar, me lembrei da razão desta matéria. Fiz um vídeo, e o coloquei no Youtube, para usar em sala de aula. Agora o disponibilizo aqui para quem quiser utilizá-lo.


É uma espécie de homenagem àqueles que lutaram, e continuam lutando, contra toda forma de opressão.

video

Leia mais sobre o assunto acessando a postagem intitulada Brasil: Ame-o ou Deixe-o.

2 comentários:

  1. Perfeito! Vou indicar para colegas que trabalham a história do Brasil. Abraços...

    ResponderExcluir
  2. Cida,

    Assim como você, espero que eles também gostem e possam aproveitar bem o vídeo.

    ResponderExcluir